Projeto do Judiciário que estimula a leitura e o desenvolvimento é lançado Bom Jardim

CMDCA divulga regras e procedimentos para eleição do Conselho Tutelar
7 de agosto de 2019
Bom Jardim realiza 1ª conferencia municipal de segurança alimentar e nutricional
8 de agosto de 2019

O prefeito Municipal Dr. Francisco Araujo participou do evento e declarou apoio a ação.

Foi lançado às 9h desta segunda-feira (5), no fórum de Bom Jardim, o Projeto “Escola Legal – doe livros e ajude a construir uma história”, que beneficiará cerca de 40 mil moradores da comarca com a melhoria da educação de jovens por meio do incentivo à leitura e à escrita entre estudantes das redes públicas municipal e estadual de ensino.

O projeto tem o objetivo de estimular o hábito da leitura e o desenvolvimento da linguagem escrita, através da arrecadação e disponibilização aos alunos da rede pública de ensino de livros paradidáticos, que passarão a compor o acervo das bibliotecas públicas dos municípios de Bom Jardim (sede da comarca) e São João do Caru (termo judiciário).

O projeto é idealizado pelo Juiz Bruno Barbosa da comarca de Bom Jardim

“Escola Legal” foi replicado da comarca de Buriticupu, onde o juiz Raphael Leite Guedes, idealizador, já arrecadou e doou 1.500 livros desde o lançamento do projeto, em 21 de novembro de 2018. Com a ampliação das ações do projeto para mais uma comarca, a expectativa dos organizadores é de que sejam alcançados 140 mil cidadãos residentes nas cidades de Bom Jardim, São João do Caru, Buriticupu e Bom Jesus das Selvas.

O projeto pioneiro foi lançado em Buriticupu pelo Juiz Raphael Leite Guedes, que já atuou em Bom Jardim

PONTOS – Em Bom Jardim, os livros podem ser deixados no fórum, na Rua Nova Brasília, s/nº. Em São João do Caru, a biblioteca municipal será o ponto de coleta, assim como na livraria e papelaria “Acesso.com”. As escolas inscritas no concurso de redação que não estejam localizadas nas sedes dos municípios também servirão de ponto de coleta, como forma de facilitar a arrecadação e acessos dos alunos aos livros.

Para o juiz de Bom Jardim, Bruno Barbosa Pinheiro, o projeto “concretiza o comando do artigo 205 da Constituição da República de integrar Estado, família e sociedade na promoção ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.

“Posteriormente à fase de arrecadação, os alunos do ensino fundamental e médio participarão de um concurso de redação sobre um livro de sua escolha que componha o acervo doado”, explicou o juiz.

Em Buriticupu, o projeto continua e se aperfeiçoa. A próxima entrega de livros está prevista para o mês de setembro de 2019, na Unidade Integrada Manoel Campos de Sousa, em Bom Jesus das Selvas.

“O Projeto Judiciário na Escola demonstra sua plena capacidade de ser replicado em qualquer comarca do país. Hoje, avançamos e atingimos uma nova etapa com a sua adoção pela Vara Única da Comarca de Bom Jardim. Agradecemos ao juiz titular da comarca e seus servidores, por acreditarem na prática que vem transformando a realidade das crianças e adolescentes beneficiadas”, disse o idealizador.

A Prefeitura Municipal de Bom Jardim é um dos colaboradores do projeto, o prefeito municipal Dr. Francisco Araujo acredita que apoiar projetos que incentive a educação estimula o Jovem á curiosidade do saber “A cultura do saber, a cultura da curiosidade, esse projeto vai mudar uma mudança significativa nas vidas dos jovens, vamos apoiar tambem na mobilização das escolas, para estimular os alunos a participarem do projeto” destacou.

A solenidade contou com a presença dos juízes das comarcas envolvidas no projeto, de estudantes e do prefeito Francisco Alves de Araújo; da secretaria de educação, Renata Oliveira; do secretário de juventude, Romário Catur, do promotor de Justiça Fábio Santos de Oliveira; do vereador Marcone Mendes, representando a Câmara Municipal e Angela carvalho Silva, representando o Sindicato dos Professores de Bom Jardim.