Mais de 6.000 eleitores ainda não realizaram a biometria obrigatória em Bom Jardim

Projeto da (SEJUV) cria oficina de teatro em Bom Jardim
9 de julho de 2019
Divulgado edital de convocação do Curso de Conselheiros e aplicação de provas objetivas
11 de julho de 2019

Baixa procura preocupa membros do Cartorio Eleitoral de Bom Jardim

O cartório eleitoral de Bom Jardim, registra déficit de 6.000 eleitores que ainda não realizaram a biometria obrigatória. O número representa mais de 31% do eleitorado do município que soma 19.000 eleitores ativos. O prazo limite é 23 de Agosto, porém a baixa procura preocupa o cartório eleitoral que pode acarretar em milhares de títulos cancelados.

A baixa procura reflete nos atendimentos do cartório eleitoral, desde o início da campanha, pouco mais de 700 pessoas realizaram o recadastramento “Se continuar nesse ritmo, mais de 25% dos eleitores ficarão sem o cadastramento”, alerta o chefe do cartório, Rafael Pinheiro

Rafael orienta ainda para que as pessoas realizem o quanto antes, uma vez que o acumulo no fim do prazo pode gerar filas e, consequentemente, o não cadastramento biométrico. “Não podemos deixar para última hora”, reforça.

O Prefeito de Bom Jardim, Dr. Francisco Araujo esteve em São Luis firmando parcerias com o tribunal regional eleitoral, o objetivo é a prefeitura auxiliar na montagem um posto de atendimento na região SUL, na comunidade de Vila Varig, a previsão que seja nas próximas semanas, as informações serão divulgadas posteriormente.

O Prefeito de Bom Jardim juntamente com o presidente da Câmara Dandor buscam dá apoio para o tribunal atingir meta em Bom Jardim.

O recadastramento é obrigatório em Bom Jardim, entre os benefícios, está a segurança das eleições, o período da revisão no município começou em 27 de maio.

Para realizar o recadastramento, o eleitor precisa apenas comparecer no cartório eleitoral, situado na Rua Nova Brasília e apresentar identidade e comprovante de residência.

Prejuízos

Aqueles que não realizaram a biometria terão, entre outros prejuízos: o cancelamento do título de eleitor, restrição no CPF, impedimento para empréstimos bancários, impedimento em matrículas de faculdades pública, bem como em participação de concursos públicos.