Gravida de Bom Jardim recebe Cheque Gestante e garante ajuda financeira

Entrega de Veículo e Kits de Informática representa avanços ao Conselho Tutelar de Bom Jardim
5 de julho de 2019
Prefeitura e SEBRAE inauguram Sala do Empreendedor bonjardinense.
8 de julho de 2019

A jovem Rosimar Lopes da Silva, Rua Boa Esperança, no Bairro Santa Clara é a primeira a receber o benefício do Cheque Cesta Básica-Gestante, um programa do Governo do Maranhão que no município tem parceria da Prefeitura de Bom Jardim desde abril de 2019, que está garantindo para famílias de baixa renda de todo o Estado a transferência de parte dos valores arrecadados com o ICMS. São R$ 900 previstos para cada beneficiada. Cada mãe tem direito a nove parcelas de R$ 100 condicionadas à realização de consultas e exames antes e depois do parto. Só recebe quem comparece nas consultas. A ideia é reduzir a mortalidade materna e infantil no Estado.

“Vai me Ajudar muito, porque hoje em dia a situação está muito difícil para criar uma criança, com este recurso vou comprar o enxoval do meu bebê, comprar medicamentos, alimentação e etc. Estou muito feliz” Destacou a beneficiada.

A Secretaria de Saúde do Município de Bom Jardim realiza o cadastramento das gestantes e encaminha para o Governo do Estado que avalia se a mãe tem direito, se tiver, a prefeitura comunica a beneficiaria que começa a receber o beneficio. O município já cadastrou 21 gestantes que aguardam aprovação do governo.

“Esse beneficio vem acrescentar para a gestante ter uma renda melhor, assim, ela pode comprar uma cesta básica de melhor qualidade para ter uma melhor nutrição para o bebe” destacou a coordenadora da atenção básica Dayane Linhares

Cheque Gestante

Com o decreto assinado pelo governador Flávio Dino no ato de posse, o Cheque Cesta Básica – Gestante será pago diretamente à gestante em até nove parcelas de R$ 100 e deverá ser utilizado, exclusivamente, na aquisição de alimentos.  A iniciativa beneficia gestantes de até 12 semanas, inseridas no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), do Governo Federal. A estimativa é que até 20 mil grávidas tenham direito a receber o benefício.

O recebimento das parcelas está vinculado ao acompanhamento do pré-natal, puerpério e puericultura, conforme normas do programa: realizar uma consulta de pré-natal, obrigatoriamente, no primeiro trimestre e até a 12ª semana da gestação; cinco consultas de pré-natal, preferencialmente, duas no segundo e três no terceiro trimestre da gestação; duas consultas de puerpério e puericultura, sendo a primeira até sete dias e a segunda de 30 a 42 dias após o nascimento.